sábado, 30 de julho de 2011

Pegando fogo? Chame o BOMBEIRO!

Ae galera, lembram em 2003 quando a Luma de Oliveira, estava com aquele magnifico bombeiro, como seu bichinho de estimação? Pois bem, graças a nossa parceira de sacanagem, Felina, temos sua mangueira para apagar qualquer fogo!














VIDEO ABAIXO

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Sexo em familia!!

Bom este relato sexual veridico, não é meu, mas ele é DEMAIS.
Como em todas as famílias, existem sempre pessoas com quem nos damos melhor com uns que com outros. Neste caso, até à alguns anos atrás eu nem sabia que este meu primo existia. Foi com cerca de 15 anos, que fui num sábado ao casamento do meu primo, no dia seguinte, como hábito para arrebatar com a comida toda, domingo foi dia de almoçarada na casa do noivo, enquanto este já estava no bem bom com a mulher!
Depois desse dia, ganhei um primo. Apesar dos bens materiais em excesso que tem e dos luxos que esta habituado, cada dia que passou desde então mostrou-se uma pessoa com carácter, humilde, sincero e acima de tudo, Amigo!
Por outro lado a mulher, era cada vez mais arrogante, altruísta, e pensava que herdaria todos os bens matérias e que isso lhe dava o direito de ser estúpida com as pessoas que a rodeavam, incluindo a própria família, a minha família.
Com o passar do tempo, nasceu uma filha desse casamento, e cada vez mais tinha mais confiança com o meu primo que pude, felizmente conhecer melhor.
Depois de tudo o que acontecera no casamento dele, desde traições por parte da mulher e afins, ele continuava a gostar dela. Vamos ser sinceros, ela era uma mulher com tudo no sítio, beleza corporal, na cama devia sem duvida satisfazer em tudo o meu primo, e depois…fazia inveja a qualquer um, chegar a um lugar acompanhado com uma mulher daquelas…
Mas como tudo o que é bom, acaba depressa, o casamento foi-se deteriorando e acabou por terminar.
Depois disso, o meu primo voltou a sentir-se um adolescente, as conversas começaram a descambar quando estávamos a sós. Ouvia-lhe coisas como nunca o tinha ouvido dizer, dizia-me coisas que nunca esperei ouvir. Ou melhor eu desejava ouvir, ver, fazer….
Coisas como “estou à rasca para mandar uma…”, “tenho os tomates a rebentar de esporra…”, “aí se eu apanho um buraquinho onde meter isto, desgraço-o todo…”
E depois havias outras, como estar na sala agarrados à XBOX e o primo ficar com tusa, daquelas que não dá para esconder… e ainda por cima não disfarça nada e se ri com a situação…. Ou contar que na noite anterior bateu uma punheta tão forte que ainda está com dores na pele da pila de tanto que puxou por aquilo.
E assim as coisas foram indo durante uns tempos….até ao dia em que no café apareceram umas amigas dele, mais novas… e que pareciam estar com o cio. Claro que mesmo com a vontade o meu primo não lhes deu nada. Sussurrou-me ao ouvido, que quanto mais elas esperarem melhor lhes vai saber….
Uma das amigas dele, nessa noite não parava de dar em cima de mim, e assim a coisa foi continuando.
Nessa noite, no meio da euforia hormonal, e da rega de álcool, combinamos ir ao Boom Festival que se realiza na região. O meu primo ficou de organizar tudo, bilhetes, tenda…. Estava mesmo a ver-se no que ia dar….
As meninas ficaram histéricas e ansiosas….
Já no festival, a Melissa não me largava, acho que nunca senti o meu corpo ser apalpado em publico tanta vez e sem que ninguém à volta ficasse escandalizado por tamanho assédio do que naquela tarde. Com a musica, com o álcool, com as coisas que circulavam no ar…. Acabamos os quatro na tenda enroscados…. Cada um par por si…. Claro que houve sexo…
Confesso que no inicio foi constrangedor… estar ali, mesmo ao lado do meu primo, nu pela primeira vez ao lado dele, e ainda por cima com o objectivo de satisfazer a miúda…. Vendo-o também a ter sexo…..
As miúdas decidiram trabalhar aos pares, recordo-me de estar semi-deitado lado-a-lado do meu primo enquanto elas nos faziam uma oral. 
Algumas coisas não faziam sentido para mim, o meu primo parecia estar extremamente àvontade com a situação, e estava com uma atitude que eu não conhecia, desrespeitava as mulheres de uma forma despresivel. “Sua puta…chupa… vais levar com ele e já vais ver o que é bom…. A seguir levas com o meu primo e ainda comes leitinho na cara….puta, também não é preciso puxar tanto…” entre outras….
O meu primo foi o primeiro a vir-se…. Enquanto se recomponha…. Olhava para mim enquanto eu entalava o dito cujo na cona da menina. “É isso mesmo priminho…. Enterra-o lá toda… ela que saiba o que é bom…..”, nisto e com o meu primo ainda a dar-me umas pancadinhas no peito…. Deixei-me vir e a brincadeira acabou minutos mais tarde…. Ficamos deitados e as miúdas saíram da tenda, para se irem refrescar um pouco….
Agora estava eu ali, suado, esporrado…. Enquanto o meu primo, estava deitado e puxava de um cigarro.
Deitei-me…. E puxei de uma cerveja que estava na geleira, ofereci uma ao meu primo e bebemos. Confesso que naquele momento não estava mais preocupado com o facto de eu ter comido uma miúda na mesma tenda e ao mesmo tempo ao lado do meu primo. Aquele momento era nosso, único, um momento intimo entre dois primos.
O álcool já falava por si….
E enquanto o fumo do tabaco se concentrava no interior da tenda fechada, bebíamos cerveja e partilhávamos os cigarros, que ele acendia e eu acabava de fumar. As miúdas não chegavam, e nós também não arrancamos dali, nem estávamos sequer preocupados em limpar e vestir.
O meu primo, num acto de elogio dá-me duas pancadinhas na barriga, “hã.. isto é que foi o festival… eheh”, e ficou com os dedos sujos de alguma da minha esporra. Torci o nariz e refutei “epá, agora ficas-te sujo, quem te manda vires mexer sem pedir autorização…”
-“…deixa lá, é da família, não te preocupes. É sumo de tomate natural”, e no momento, meteu na boca e degustou. Confesso que nesse momento achei nojento, alias acho esse acto nojento e desnecessário, e fiquei com cara de estupefacto a olhar para o meu primo. Ele olhou para mim, levou a mesma mão à perna dele, onde se amontoava um lago de gosma bem mais espessa que a minha, passou um dedo e levou até à minha boca. Se não fosse o álcool, certamente aquilo nunca teria acontecido. Ele introduziu o dedo na minha boca, rodou um pouco para que a esporra ficasse no meu lábio. Depois olhou para mim, com um sorriso malandro, fechei os olhos e tentei não pensar que tinha a esporra dele nos meus lábios. Quando abri os olhos, o meu primo preparava-se para me dar um beijo e lamber a esporra dele que ainda permanecia já fria, no meu lábio. Algo ali estava errado, nunca pensei aquilo estar a acontecer com o meu primo, depois de termos comido as miúdas. Ele sempre foi hetero aos meus olhos. 
Eu tremia, estava nervoso, muito nervoso, o meu primo olhava apenas para mim, enquanto me passava a mão pelo corpo. Eu tentava saborear o momento, com pequenos gemidos quando sentia a mão dele passar pela minha virilha quase tocando os meus tomates. Já sem controlo e com a certeza que não havia volta a traz, saltei para cima dele, e beijamo-nos profundamente…
Deslizei-me e deitei-me em cima dele, comecei a sentir o pau dele a crescer de novo e o meu já ganhava também novamente vida. Momentos depois naturalmente já agarrávamos no pau um do outro e masturbávamos, com a naturalidade que há momentos tinhas vivido com as miúdas. Depois de alguns rebolanços no meio da apertada tenda, o meu primo agarrou o meu pau e puxou-me o prepúcio bem para traz e apertou. Apertou tanto que estava a começar a doer, olhou para mim e chupou-me, deixou o meu pau cheio de saliva, eu gemia os meus músculos tremiam de prazer…
A mão dele no meu peito fez pressão e eu deitei para traz, enquanto uma maravilhosa e molhada oral me era feita, sentia a saliva a deslizar pelos tomates.
Deitado no chão da tenda, eu sentia-me no céu, sentia a boca do meu primo a engolir a minha pila, a saliva escorregava pelos tomates, as suas mão não paravam quietas e apalpavam-me as bolas, puxavam brutamente a pele do pau.
Senti que a sensação acabara, tinha o meu primo, de joelhos ao meu lado, com uma mão agarra a base do pénis e expunha glamurosamente a sua cabecinha vermelha, e com a outra mão segurava a minha cabeça. Olhei para cima e disse com algum carinho na voz “mama-o”.
Aproximei lentamente a boca, respirava fortemente para que o meu primo me sentisse aproximar, abri ligeiramente a boca e coloquei apenas a língua para um pequeno degusto. Afastei a boca e olhei para cima, o meu primo olhava-me com um olhar de ansiedade, “vá lá, sem medo”. Voltei a insistir, aproximei a boca, desta vez o meu primo ajudou com a mão na cabeça e engoli a apenas a cabeça, molhei-a com a saliva e brinquei com a língua. Nesse momento já o meu primo gemia, e ofegava a respiração forte. E assim foi continuando a brincadeira, com o meu primo sempre a comandar… naqueles momentos se não soubesse que tinha sido casado, e acabasse de o ver comer uma miúda, pensaria que toda a vida ele tinha passado a fazer aquilo.
Entre revoltas e revira voltas, entre gemidos, beijos, oral, chegamos ao ponto em que ele perdera o controlo e me queria penetrar. Masturbava-se fortemente, abraçava-me, beijava-me com força, agarrou-me, sentou-me em cima dele, com a mão pelas minhas costas, tentou encontrar o pau dele e encaminha-lo na direcção do meu cú. 
Quando percebi ao que se preparava a fazer, recalcitrei, das todas as vezes que já tinha experimentado a ser passivo, não tinha gostava, disso a minha mente naquele instante ainda se lembrava, mas o primo, num ponto sem retorno, disse-me ao ouvido “isto é para os dois, não chegamos aqui para abandonar o barco.”
“não sei o que se costuma dizer nesta situações, mas acho que “prometo que não vai doer”, é capaz de ser o mais indicado”
Ri. Era o único que podia fazer…… e mal dei por ela já ele tinha encontrado o buraco e insistia em entrar à força….estava completamente seco, ele levou a mão algumas vezes à boca, escarrava e tentava lubrificar para facilitar a invasão alheia…
Sentimos ambos a cabeça a deslizar para dentro, eu gemia com dor, ele gemia de prazer….”pronto a cabeça já entrou, agora é só pescoço”, naquele momento apetecia-me bater-lhe…. Eu estava ali com o pau meio enterrado no cu e ele ainda dizia piadas de mau gosto.  “Estamos sem preservativo”, disse eu! “Descansa que não vais engravidar”, foi a resposta que obtive…. 
Obviamente extremamente excitado, abraçava-me com força, sentia os músculos dele a movimentarem-se sem coordenação, não tardou muito, revirou o olhos, gemia mais alto, e tirou finalmente a pila do meu cú, colocou junto da minha e deixou-se vir. Espessa e em quantidade relativamente grande….ficamos agarrados enquanto sentíamos aquela gosma entre os nosso corpos…. Ele ofegava, e descontrolava-se muscularmente. Não o tinha visto ter aquele excesso minutos antes com a miúda.
Agora era a minha vez…. Aproveitando que ainda estava meio em transe com a esporradela, avisei que era a vez dele…. Pedi para se colocar de 4…. Respondeu-me “vai com calma campeão…” escarrei para o pau, retirei alguma esporra dele, que grudava na minha barriga e passei pelo rabo peludo dele…..puxei todo o meu prepúcio para traz, e apontei a arma à mira…
Comecei a forçar a entrada…. Assim que a cabeça entrou, deslizou mais um pouco até meio, ele soltou um berro…”fodassssssssssssss….”
Momentos mais tarde, foi a minha vez…senti-me vir….. tirei o pau ele virou-se de barriga para cima, começou a punhetar…. E eu vi-me em cima dele….. algumas gotas foram para perto da boca dele, incrivelmente ele estava com tusa e veio-se…. Desta vez em menos quantidade e com mais custo….
Ficamos ali abraçados um pouco, o corpo precisava de descanso…

A tenda tinha um cheiro de sexo e suor, o festival lá fora continuava, as miúdas não apareceram, e nós gozamos o momento.
Depois disto, limpamo-nos, vestimos os calções e a t-shirt, fomos até à zona da água, mergulhamos, e seguimos enfrente…. Curtimos o festival…
Sobre o que aconteceu nessa noite, não voltamos a falar, continuamos a sair algumas vezes, pelos bares da cidade, as miúdas laçaram o boato da foda que tiveram com os primos, e pelos vistos, fome o meu primo não tem passado, pelo que a mãe dele conta, aparece em casa com miúdas diferentes regularmente.

Video- Com 2 Heteros!!

CLIQUE AKI E ASSISTA

Sabe o que a Bolina tem em casa?

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Procurando algo para assistir na TV?- TRUE BLOOD

Procurando algo nesse inverno para assistir em casa? True Blood é uma boa pedida! Exploracao sexual dos personagens sao de ótimo gosto da HBO. Além de acompanhar um excelente roteiro, fica a dica.

Vampiros, metamorfos e lobos? FICO COM TODOS




Foi no carnaval que foi BOM- MAX

Estava na academia e me lembrei dessa que aconteceu em 2009.
Era quase dia de carnaval e recebo o convite junto de alguns amigos para ir passar o carnaval na casa de conhecido deles, em Limeira. Seus pais haviam viajado e a casa ficou toda para nos.
No primeiro dia de carnaval rolou um super churrasco a noite, onde apareceram mais pessoas, alguns casais heteros e um casal gay. Na casa estava uma verdadeira mistura, 3 gays incluindo eu, 4 homens e 2 mulheres. Muita bebida e alguns baseados para animar a galera. Eu não conhecia nem 30% da festa, então logo fui puxando conversa com as pessoas, afim de conhecê-las. Logo no fim da noite todos estavam bem entrosados.
No dia seguinte acordo e percebo que todos que vieram a festa, acabaram dormindo na casa, e eu já imaginando de rolar umas brincadeiras entre os integrantes...mas nada aconteceu. Durante o dia fomos pra Campinas, pois em Barão Geraldo iria rolar carnaval na rua, e cheio de universitários loucos por sacanagem. Passamos o dia bebendo, pulando e bjando é claro. O pessoal de Campinas é mais de boa para isso, e em algumas ruas o movimento GLS era mais intenso. Esse pessoal bem discreto. Acabei que conheci “Alex”, um semi loiro, fortinho de academia, estudante da Unicamp,

que percebeu que não tirava meus olhos dele, e quando fui sozinho ao banheiro veio puxar conversa. Curti meu dia com ele. Trocamos celular e claro, saímos algumas vezes depois.
Ao fim do dia, próximo de 1h da manhã voltamos para a casa onde estávamos em Limeira, e muitos já se dirigiram a durmir, incluindo eu. Porem não consegui durmir e 20 minutos mais tarde, levantei para comer algo. Quando chego na cozinha encontro o namorado de uma das meninas da casa sentado na mesa, comendo ...e um pouco alegre da bebida (não estava bêbado). Comecei a caçar a comer, sem dirigir a palavra a ele. Abrindo os armários e procurando, pego algumas coisas e quando vou me virar ele esta colando a mim de pé. Meu susto foi muito grande, pois não ouvi nenhum barulho dele levantando. Eu não sabia o que fazer, e ele ficava me encarando. Eu mal troquei uma palavra com ele durante os 2 dias na casa e sabia q ele namorava. Após aquele silencio constrangedor e longa pausa dele me olhando, ele finalmente diz algo.
- Eu vi você beijando aquele cara no carnaval...
Com cara de “kiko”, respondo a ele.
- Sim, e ????
Ele retruca
- Não sabia que você curtia da ré no kibe
- Gosto sim, mas isso não é da sua conta
- Na verdade pode ser da minha conta, porque se soubesse não teria deixado você passa o dia com aquele cara, teria eu aproveitado
Olhei para ele e não ACREDITAVA que ele tava falando aquilo, o cara namora, a namorada no andar de cima namorando e ele me vem com uma dessa?
Felizmente cada um faz o quer de sua vida. Passei minha Mao no meio das pernas dele e ele logo me agarrou. Ele então me afasta e diz que ali não dava, era muito arriscado. Após isso fui saindo, pois achei que ele havia desistido por medo. Ele me puxa e me leva pra garagem. Não acreditava que aquilo estava realmente acontecendo. Ele se fazia de bêbado, mas eu logo percebi que de bêbado, ele não tinha nada!
Me jogou em cima da Ecosport estacionada la e foi logo me alisando. Não tinha reparado bem nele, cabelinho curto e preto.. olhos castanhos escuros, corpo branquinho tamanho M/G ( DNA de pessoa grande, não gorda) aqueles braços grandes de natureza...beijei muito aquela boca aquela noite. Fui sentindo seu corpo ate chegar em sua cueca, quando peguei
naquela rola de seus 17 cm, não largava mais. Punhetava ele muito forte, enquanto sentia sua língua na minha. Ele me posiciona de frango assado no capo da Ecosport, coloca um suporte para subir e dar a posição perfeita de encaixe. Ele me bombava muito forte logo de cara, e comecei a pensar se o alarme da caminhonete disparasse...minha temperatura começou a aumentar e o tesao estava incrível, acabei gozando sem quase me tocar e ele logo em seguida.
Quando terminamos cada um seguiu pro seu quarto sem falar nada. No dia seguinte aproveitávamos as brechas de sua namorada no banho ... ou indo caminhar, para brincarmos um pouco, pois foi a que fudemos de novo, no mesmo local. Carnaval acabou e eu nunca mais o vi, o casal era natural de outro estado, amigos de amigo.

sexta-feira, 15 de julho de 2011

O fetiche por motoqueiros - MAX

Em um de meus dias de folga em Americana, obviamente louco por um pouco de aventura... pego meu carro e vou dar um role pela cidade, afinal a regiao é cheia de gatos.
Me lembro de visitar uma rua em especial, onde sempre se encontra putaria a ceu aberto, se trata de nada mais nada menos que a rua do amor...assim conhecida por alguns. A rua que se localiza entre SBO e Americana se chama, Rua do Aço.
Pois bem, depois de um role por Americana me dirijo a ela... chegando, já é possivel avistar alguns travestis ganhando a vida, e muitos provaveis clientes circulando e escolhendo aquele que mais lhe atrai. Mais a frente alguns garotos de programa ganhando uns trocados faceis, e aquele monte de carros e motos escolhendo com quem finalizar aquela noite gostosa ..com SEXO.
Dei um voltinha e nao encontrei nada que me desperta-se a atencao...indo embora .. eis que passa um motoqueiro de jaqueta vermelha, aquele corpo que preenche ela toda e aqueles tamanhos de perna em sua calça jeans, quase estourando. Nao consigo disfarçar o olhar e vou diminuindo a velocidade... ele logo acompanha meu olhar e passa por mim. Continuei olhando no retrovisor desesperançado...e de repente ele vira a moto e volta ate mim. Com uma ansiedade no peito e sorriso no rosto paro o carro completamente, implorando para ele parar ao meu lado. Desejo atendido. Conseguia visualizar aquele belo corpo ...e seus lindos olhos verdes na viseira do capacete. Ele me comprimenta..e pergunta o que procuro ( ao mesmo tempo retirando o capacete)entao digo a ele
- O que eu desejo para essa noite, é seu pau todo pra mim...
Ele entao abre um sorriso safado de lado, e diz
- Se eu  retirar ele da calça, vai ter que alimentar e dar abrigo!
Nossaaaa nao tem coisa melhor que motoqueiro...e ainda safado... olhei bem pra ele e disse
- Me segue!
Ele retruca
- Onde vamos?
Eu disse
- Essa rola é minha já, vai me segue que estou mandando!
Ele passa a mao no queixo e me diz
- Me guia entao.
Levei ele até um local tranquilo, conhecido por mim. Chegando ao local, encostei em meu carro e ele mal desligou a moto, ja veio rossar seu pau em minha perna, estava DURASSO. Ele me apertava e ja fui abrindo aquela calça e enfiando a mao, eu via em sua cara o tamanho de seu tesao.
Quando peguei na mao, senti que era grosso, desci o olhar, e conseguia visualizar uns 19...20 cm em minhas maos. Ele com uma semi barba, passava seu rosto pelo meu, e diz em meu ouvido
- Aquece meu pinto nessa boca quente..
nao precisava nem pedir!
desci naquela rolava e mamava com muita vontade, minha boca salivava, fazia umas 2 semanas que estava sem uma rola daquelas.
Uns 4 minutos depois, ele me levanta e me posiciona contra o carro.. so sinto sua saliva quente em seus dedos passando em minha bunda e chegando ate meu rabo. Logo apos sinto a introducao, mas mais forte, foi seu abraço por traz e seu rosto colado ao meu, dizendo que queria aquele rabo todo pra ele. Ele bombando lentamente e visualizando todo aquele momento, com estocadas profundas e alisando minha bunda.
Sinto a movimentacao aumentar e gemidos vindo dele, pedindo para forçar o anus a fechar e prender seu pau la dentro. Quando atendo seu pedido ouço seu gemido forte, e suas fortes estocadas ate ele gozar. Sem percebermos, foi uma foda de 1h na rua. PURO TESAO

terça-feira, 12 de julho de 2011

Video- Amadores no meio do mato

Peguei esse video em especial, pois ele se parece muito com a Lagoa do Taquaral de Campinas, e é so chegar ..chegando..ou assistir a putaria que rola solta entre as arvores.

Fudendo no meio do mato- CLIQUE AKI

Video Amador

Material de boas vindas ae pessoal
Obs: O destaque é no Ativo falando... muito tesao
http://www.4shared.com/video/5O0N3r_t/MOV06870.html

Tesão esta no dia-a-dia!

E ae galera, desculpem-nos, por este hiato no blog, mas coisas acontecem na vida, e temos que seguir em frente. Além do que novas aventuras aconteceram.
Recebmos fotos ( BOAS) mas que por enquanto ( analisando a questao) nao postaremos as que podem se identificar moradores da regiao.
Como o assunto deste post envolve a foto, resolvemos compartilhar com vcs. Bom acredito que nao seja segredo para ninguém que academia é a igreja dos bissexuais/gays, somos frequentadores a anos das academias da regiao Americana - Campinas ...e podemos dizer que vale a pena frequentar. Sempre rola aqueles rolhares desejando o corpo do outro, aquela calça marcando aquelas rolas, além dakelas bundas que desenham os shorts. Sempre vejo que muitos se dão bem, incluindo nós, na questao de paquera, uns esquemas. Mas a questao é...como chegar ?
Primeiro é o mais evidente a troca de olhar... ou o olhar em um dos milhares espelhos que existem pelas academias. Sentiu o clima, tenta puxar uma conversa... tentar revesar o aparelho, pergunta se o aparelho ao lado esta sendo usado...existem mil formas. Paquera em acao, comeca a comprimenta-lo sempre .. e tentar perceber se o mesmo retribui e tenta puxar coversa contigo. MAs atencao... nao fique forçando uma conversa, afinal, la é local de malhar, vc pode se passar por chato. Tudo em dose certa!
Além do que, os box de tomar banho das academias sao semi transparentes, além de  vc pode cuidar da saude, do corpo , conhecer novas pessoas e talvez uns esquemas com um carinha gostosinho... é sempre bom aos olhos.
( foto de uma academia de Americana, enviada por um anonimo )
ps: curtimos muito o conteudo...é sempre bem vindo!


sexta-feira, 8 de abril de 2011

Novidades no Blog - Espaço do leitor

Você que possui algum relato de aventura boa para compartilhar com os freqüentadores do Blog, escreva para gente, estaremos selecionando os melhores para futuras publicações.
Caso você conheça ou suspeite de algum lugar de pegação ou locais “tranqüilos” utilizados para sexo, compartilhe conosco e estaremos verificando o que rola nesses locais para assim apresentar ao blog.
Direcione seu relato ou informação para o e-mail fredcmaxr@hotmail.com
Algumas informações importantes.
- Não coloque nomes reais de pessoas em seus relatos, afinal você nunca sabe quem irá ler.
- Cuidado ao mencionar os locais da aventura.
- Não somos responsáveis pelo texto escrito por terceiros, por isso, saiba até onde escrever detalhes.

Conhecendo o meu Executivo safado rs - MAX

E ai pessoal,  espero que estejam todos bem e sempre com vontade de aventuras novas. Vou relatar para vocês como conheci de forma inesperada meu ex-namorado, o Executivo que citei em um dos relatos abaixo.
 Em um almoço em família no shopping Iguatemi durante a semana, percebo o lugar infestado por executivos almoçando, com aquelas roupas sociais que me deixam louco de vontade de puxar pela gravata e ir abrindo botão por botão.
Percebo que um deles em especial estava me olhando meio que de canto, e mesmo quando percebi ele me encarando, ele não fez questão de esconder ou disfarçar. Ele loiro, corpo normal, com DNA de pessoas com ombros largos , um corpo que recheava muito bem aquela roupa social que vestia.  Alto dos olhos castanhos claro, não tinha certeza do seu real desejo, pois seu rosto não expressava algo, apenas um olhar devorador. Como não tinha o que perder, fui dando umas encaradas nele também de uma forma discreta, afinal de contas, não estava sozinho. Aquele clima começou a ficar intenso, e como eu precisava lavar aos mãos para almoçar me dirigi ao banheiro. Fui andando devagar para vê se ele acompanhava a minha intenção.  Cheguei a pia e comecei a lavar a mão e escuto alguém abrindo a porta do banheiro. Na hora gelei, ERA ELE. Foi entrando e se posicionando a pia também. Nos olhávamos pelo espelho, sem trocar qualquer palavra. Em minha mente eu pensava em algum assunto para puxar, mas não conseguia. Direcionei-me para uma das últimas cabines e deixei a porta e fiquei esperando. Percebi que não estávamos sozinhos no banheiro, existia um terceiro elemento que utilizava uma das cabines. O tempo começou a passar, e comecei a pensar em desistir, pois eu sequer ouvia seus passos no banheiro. De repente escuto a porta se abrindo e fechando, alguém tinha saído e já desistindo fui saindo da cabine, quando cheguei a porta da cabine me esbarro com ele entrando. Nossos corpos se chocaram e um só olhou para o outro e não sabia o que fazer. Fui andando para atrás, e ele entrando mais ainda...e fechou a porta. Na hora não resisti e fui até a boca dele, e comecei a beijá-lo. Ele passava a mão pelo meu cabelo e eu sentindo aquele corpo naquela roupa. Sua barraca logo se armou, e fiquei acariciando ela sobre a calça. Aquele momento, daquela forma me dava um tesão muito gostoso, a preliminar deliciosa. Ele foi abrir seu cinto e tirei sua mão e deixei claro no ouvido dele – Quem abre esse cinto sou eu! Nesse momento começou a me apalpar com mais força ainda, aquele fogo que sentimos quando estamos prestes a tirar a roupa. Lembrei que eu precisava voltar urgentemente, pois já tinha ido lavar as mão a uns 15 minutos. Quando cai em mim, resolvi agilizar a situação e ele então não entendia mais a rapidez, e lembrei ele que não estava sozinho rs. Ele então tratou de agilizar, abri apenas seu zíper , e tirei para fora aquela rola que me animou na cama por alguns meses. Ele colocou então a camisinha e começou a roçar o pau em minha bunda. Mas pegou e abraçou por traz e me disse – Só vou te penetrar se você me der seu número. Meu tesão a mil, quase suplicando, tirei meu celular do bolso e coloquei em seu bolso da camisa, ele com cara de quem não acreditava no momento , deu aquele sorrisinho e foi logo fazer o serviço. Aquela sensação de ser pego no banheiro por alguém, ou pior, pelas pessoas que me acompanhavam, o tempo contra mim, me fizeram entrar num clímax quase inexplorado por mim até o momento, o risco de pode ser pego no ato.
Agente tendo que controlar o barulho da cabine ...e ele me forçava contra a cabine, me fazia delirar, galera o que foi aquilo, não existem palavras para descrever, só quando você realiza o ato mesmo. Terminamos aquela fantástica rapidinha e ele então viu uma pulseira pessoal e antiga que usava e foi pegando me dizendo que só iria me devolver se eu marcasse outra vez de ver ele ... Bom eu estou com a pulseira de volta ..então já sabem né?

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Corrida na Lagoa do Taquaral - FRED

Vai me dizer que você nunca ouviu falar das pegações que acontecem na Lagoa do Taquaral, pois bem, fiquem sabendo que o lugar é o fervo. Tem caras de todos os tipos, idades, pesos, alturas, gostos e que você não pode deixar de conhecer. Vou contar um pouco como tudo acontece, dentro da Lagoa a pegação acontece perto da concha acústica, no interior da Lagoa e foi lá que um dia eu fui saciar a minha vontade por sexo e pegação. Cheguei na Lagoa por volta das 19h30 e fui correr por dentro, quando olho uma movimentação no meio da Mata, próxima a Concha Acustica, tinha um caminho de paralelepípedos que levava ate lá, eu mais do que depressa fui conferir o que estava acontecendo.
Chegando lá vi que tinham dois banheiros desativados e vários caminhos de terra que levavam pra dentro da mata e também próximo a linha do bonde, onde vários caras circulavam despertando ainda mais o meu tesao e desejo por um macho. Comecei a andar por aqueles caminhos de terra, quando comecei a ver vários caras se pegando, aquilo me deixou louco, eram 4 caras se pegando um deles estava ajoelhado chupando os outros 3, eu passei perto e logo fui convidado a participar. Não resisti e logo coloquei minha rola pra fora, que modéstia parte é uma bela rola, não muito grossa, mais com os seus 18, 19cm. O cara que esteja ajoelhado logo colocou ela na boca e começou a me chupar, enquanto eu beijava o cara do lado, um moreno de 1.88altura, barriga saradinha, não resiste e logo comecei a beijar os outros caras e assim começamos a mudar a ordem, tanto do que chupava quando os que eram beijados. Logo chegou minha vez de chupar tudo mundo, cada rola, uma maior que a outra, sem contar que podia ver o tesao na cara de cada um deles, com lá não da pra demorar muito, logo resolvemos gozar e um dos mulekes deixou gozar nele, não acreditava naquilo, 4 caras gozando em um, o muleke ficou de joelhos e colocou a língua pra fora, louco pra ser todo gozado, não demorou muito e os gemidos começaram a sair, e assim começamos a gozar, a cena me deixou louco, olhar todos aqueles caras gozando ao mesmo tempo e fazendo parte daquilo. Nos arrumamos e saímos cada um para um lado e eu assim continue minha caminhada noturna. E essa caminhada continuo, afinal caminhar faz bem, no Taquaral então, nem se fale.

terça-feira, 5 de abril de 2011

Vamos jogar bola? - MAX

Me lembro bem daquele dia ainda, era uma quarta-feira de inverno, eu havia acordado morrendo de tesão e todos os meus esquemas estavam ocupados naquele dia. Fui em busca de conhecer alguém novo.
Em meu MSN visualizo uma pessoa que nunca havia teclado, então logo fui puxando assunto e descobrir de onde ele era. Descobri que ele estava próximo a mim e que também estava sedento por sexo. Quando percebemos a hora já era 5 horas da tarde e ambos tínhamos compromissos a noite, mas mesmo assim insistimos em um esquema rápido. Ligamos as webcams para ver se rolava, quando visualizo ele vestido de jogador de futebol. O QUE ERA AQUILO. Acredito que assim como eu, muitos tem a fantasia em pegar um artilheiro após o jogo rs. Não resisti, e sabia que me atrasaria para o compromisso, mas aparecem oportunidades na vida que não se devem ser desperdiçadas.
Nos encontramos e logo se notava aquelas pernas semi desenhadas de quem bate uma bolinha com os amigos. Havíamos combinado em pegar um drive, mas tempo não estava ao nosso lado. Enquanto conversávamos ele ficava tocando seu pau sobre aquele shorts, eu não conseguia me controlar mais, e meu corpo falava mais alto naquele momento. Decidimos procurar parar em algum local tranqüilo. Nos direcionamos para uma parte de Americana em que casas ainda estão em construção e que de madrugada, muitos carros de casais gays e um ou outro de heteros, estacionam ali para um sexo rápido e gostoso, a famosa, aventura. Quando chegamos notamos que existiam pedreiros no 2 andar das construções, que ficava a uns 1,5 km de distância, e começamos a cogitar desistirmos. Já era quase 5 e 30 da tarde, mas o sol estava bem claro naquele dia. Não agüentava mais e fui colocando a mão por debaixo do shorts dele. Quando peguei em sua pica, estava durassa, se notava que ele estava morrendo de tesão também. Comecei a masturbá-lo, então aquele jogador me olha e diz – Isso eu faço em casa, cai de boca aew... não o faria mandar 2 vezes. Após uns 2 minutos chupando aquela rola de uns 16 cm, grossinha, o artilheiro me diz – Sai do carro. Na rua ele chega perto de mim, e me coloca na traseira do carro, e foi enfiando a mão dentro de minha calça, até chegar em meu cuzinho. Ele guspia em seus dedos e ia me penetrando apenas com aqueles dedos, com aquela barraca armada no shorts branco. Ele então abaixa minha calça em um movimento rápido e quando percebo o Jogador já esta com camisinha em seu cacete. Me pegou com tudo e já foi socou tudo, aquilo me proporcionou uma dor muito forte, e fui afastar ele, mas não conseguiu, ele me segurava forte e bombava sem parar. O seu tesão estava incrivelmente alto, dava para notar, pois estava ali fazendo sexo comigo, porém ao mesmo tempo, ele olhava para a construção e a rua que dava acesso a nossa, e víamos carro passando ali a todo momento rs.
Quando terminamos cada um seguiu seu caminho rapidamente, cheguei em casa tomei um banho e me direcionei para a faculdade. Estava em época de prova e estava incrivelmente atrasado, mas tudo aquilo tinha valido muito a pena. Quando termino a prova e vou dar um role pela faculdade cruzo no corredor com o JOGADOR, isso mesmo. Nos olhamos com um sorrisinho no canto da boca sem nos falarmos, quando recebo um sms...
Ai fica para a continuação dessa história...que obviamente pegou mais fogo ainda hehehhehehhe.  
Ps: meus jogadores favoritos, o charmoso Júlio Cesar e incrivelmente gostoso, Cristiano Ronaldo

domingo, 3 de abril de 2011

Conhecendo o lutador de Jiu Jitsu - MAX

Era segunda ou terça- feira, 23h já , quando percebo, através do MSN, que meu ex-namorado tinha chego de viagem, ele um executivo discreto com carreira em ascensão aqui na região, porém sem me dar atenção nenhuma, então logo tratei de ir conversar com ele. Senti sua recepção fria e sem nenhuma empolgação em me ver, após 3 semanas fora. Aquilo obviamente foi razão de briga. Para não entrar no assunto ... falei para ele que se ele não estava com vontade de me ver, acharia quem ficasse. Ali ficou meio que declarado o fim.
Após os 15 minutos de tristeza, fui fazer valer minha palavra e vontade. Meia noite já, eu em Americana e compromissos no dia seguinte, não me impediram de dar uma conferida no BP UOL. Logo que entrei, recebi uma mensagem do Lutador. Começamos a conversar e tudo mais, e ele me diz que era lutador de Jiu Jitsu por hobby. Aquilo já me fez imaginar as inúmeras posições com ele me agarrando.Ele então me convida a ir até ele, pois estava sozinho. Não perderia aquela chance por nada.
Quando cheguei em sua casa ele me recebi só de shorts e chinelo. Olhar o volume naquele shorts era algo mais forte que eu, porém tentava disfarçar. Na sala eu andando atrás dele, ele para e se vira de repente, aqueles 1,75.. branco, do cabelo bem preto, um corpo gostosinho, de quem puxa ferro na academia nas horas vagas e uma cara de bom moço. O lutador então abaixa seu shorts, e aquela rola já semi acordada começa a me encarar. Fui em direção e fiz ele se sentar no sofá, voltei ao meio da sala e comecei a me despir enquanto ele assistia e se masturbava. Tirei minha camiseta...o tênis...a calça ...e minha cueca. O cara de bom moço então faz um sinal com a mão para dar uma voltinha e prontamente atendo seu pedido. Quando fico de costas, ele levantou rápido e me pegou por traz. Encaixou sua rola no meio de minhas pernas e começou a me roçar. Foi passando a língua por todo o meu corpo e ficou trabalhando aqueles lábios em minha nuca/ pescoço. Aquilo foi me dando um tesão fantástico.
Após um tempo assim me desprendi dele e fui descendo diante de deus olhos até chegar naquele lindo pau de seus 17 cm e cabeça rosada. Peguei na mão e comecei a senti-lo. Quando mal pensei já estava com a boca engolindo. Fui chupando ele por prazer próprio, aquela rola parecia pirulito. Ao sentir o seu imenso tesão enquanto o chupava, aquilo me proporcionava mais tesão ainda, não sei explicar. O gostosinho então me puxa para cima, me coloca sobre a mesa e abre minhas pernas ao máximo. Passou KY em seus dedos, e foi me acariciando por mais de 10 minutos, e me ver daquele jeito, sentindo prazer em seu toque, ele ficava cada vez mais excitava, pois seu pau ficava cada vez mais duro, sem ele se tocar. Colocou uma camisinha, e colocou seu pau dentro de mim. Sem se mexer enquanto ali me encoxava, sentia uma de suas mãos passar pelo meu peito e a outra me segurando na cintura. Começou então a me bombar. Foi indo devagar até chegar em uma velocidade média. As luzes baixas, tudo que conseguia sentir era seu corpo ali. Ele então me deitou no tapete e começou a me pegar de frango assado, aquela imagem de quando descobri que ele era lutador de jiu jitsu veio a minha mente, e meu tesão chegou ao ápice, gozei sem quase me tocar. O lutador então se inclinou mais ainda e começou a me beijar enquanto bombava cada vez mais forte até gozar.
Ficamos ali no chão nos beijando por um longo período após, enquanto massageava seu pau. Até percebemos que já era 3 e 30 da manhã e ambos termos compromisso no dia seguinte rs. Mas é disso que eu gosto heheheh.

sexta-feira, 1 de abril de 2011

Uma passada na Rodoviaria de Americana- Fred

Só pra deixá-los com mais tesão, vou contar mais um situação que passei, mais essa eu já tinha meus 19anos, porém não consigo esquecer..... Eu Fred, estava passando de carro perto da Rodoviária de Americana, quando me lembrei que rolava um banheirão todos os dias e que sempre tinha alguém interessante por lá. Resolvi parar e matar um pouco do meu tesão com qualquer um que lá estivesse, dito e feito, entrei no banheiro de cima e quando olho para o mictório, vejo um muleke com seus 19anos, cabelos tipo moicano, malhado, com um sorriso lazarento, que logo me deixou com tesão. Não tive duvidas, parei do lado dele para mijar e como de costume, fiquei olhando pro pau dele, que já duro me deixou louco. Não deu outra, entramos na cabine do banheiro, sem nos preocuparmos com o que poderia acontecer. Começamos a nos pegar, ele tirou aquela camiseta e logo vi aquela barriga toda trincada, com poucos pelos, comecei a beijá-lo e aquilo foi me deixando louco, ele por sua vez tirou a minha e ficamos sem camiseta e com as calças abaixadas, afinal, não dava pra fazer muita coisa.... Peguei uma camisinha, coloquei no pau que já estava torando de tanta vontade de comer logo aquele muleke, que tinha uma bunda lisa e durinha, primeiro lambi o cuzinho dele, com tanto tesao, que não resiste e logo comecei a meter, o barulho foi inevitável, mais não estávamos preocupados, ou melhor, não nos tocamos que poderia entrar outras pessoas no banheiro.... Comecei a comer ele, eu bombava com tanto tesão enquanto ele gemia baixo, mais gemia, quando ouvimos barulhos no banheiro, fiquei com medo de fazer barulho, então ele começou a me chupar e como ele chupava, o barulho continuo e resolvemos ficar parados por um tempo, quando notamos por baixo da porta tinham 2 pares de cortunos parados na frente da porta, puta na hora eu gelei, ficamos quietos, quando de repente, começaram a bater na porta. Não tivemos escolhas e tivemos que responder.... Eram dois policiais, isso mesmo dois policiais, simplesmete FUDEU, passou um flash na minha cabeça, pensei comigo, pronto to ferrado, vou parar na delegacia. Eles pediram para que abríssemos a porta e saíssemos. Como estávamos sem escolha e eu ainda de pau duro, tive que sair, ficando assim visível o que estávamos fazendo. Sai na frente e logo fui saindo do banheiro em direção a porta de saída da rodoviária, por sorte os policiais foram atrás do muleke, que nem se quer perguntei o nome, eu peguei e fui embora, com as pernas tremendo e com muito tesao, toda aquela situação me deixou louco, fiquei imaginando os policiais pedindo para abrirmos a porta e entrando com agente na cabine, coisa que não aconteceu.  Se vocês ficaram curiosos pra saber o que aconteceu com o muleke, fiquem calmos, porque essa historia continua, eu encontrei esse muleke denovo, no mesmo lugar.... em breve vocês saberão.

quinta-feira, 31 de março de 2011

E se a segunda vez foi mais marcante que a primeira? - MAX

Quando fui escrever esse texto, refleti por 3 dias, pois estou em dúvida se a minha segunda vez foi mais marcante, que a primeira. Ainda não cheguei a uma conclusão, então deixo para vocês “julgarem” isso.
Após minha primeira vez  com um macho,naquela segunda-feira, mil coisas se passavam pela minha cabeça. Se foi fantástico mesmo o quanto eu senti naquele momento e se cavalgar naquele pau era algo de prazer mesmo. Guardei isso para mim e comecei a realizar na internet, pesquisas sobre comportamentos sexuais homossexuais, para sanar minhas próprias inquietações. E aos poucos fui entendendo que cada um senti prazer de uma forma pessoal. E é ai que entram fantasias, fetishes e posições sexuais mais desejadas por uns, do que por outros.
Com o desenrolar da semana, o diabinho que me acompanha, gritava para mim, desejando mais sexo. Andando pelas ruas, shopping, academia e até mesmo no trânsito, eu ficava imaginando eu na cama com aqueles machos. Naquela semana, infelizmente, não deu certo de ver o Engenheiro Maludo. Então sábado a noite onde ir?
Alguns amigos sugeriram irmos para a Edub, uma boate gls de Piracicaba, curtir a noite e relaxar um pouco. Foi a opção escolhida. Já na fila, reparei que tinha um morenaço de 1,90 de altura, grande, aqueles braços que quase explodiam sua blusa de frio, me encarando com seus lindos olhos verdes. No momento fiquei um pouco sem graça, pois ele me olhava e não esboçava nenhuma reação, então logo pensei que coisa boa não poderia ser. Troquei de lugar com um amigo para sair de sua visão.
Dentro da boate o som já estourava as caixas de som, e a pista completamente lotada, decidimos ficar no 2 andar. Por volta das 2 e 30 da manhã, eu dançava sozinho próximo a barra de ferro de segurança que fica na frente da pista de dança, enquanto aguardava meus amigos voltarem da pista de dança/comprarem bebida. Quando avisto de novo aquele morenaço me encarando, desta vez ele estava sem sua blusa de frio, só com aqueles braços gigantes cruzados, que davam mais volumes ainda, aquela cueca badboy aparecendo e sua corrente prata no pescoço, é de tirar o ar de qualquer um. Mas também nem imaginei uma possibilidade, pois sabemos bem como esses são. Como estava ali sozinho e não sabia qual era a dele comecei a circular um pouco e ir comprar algo para beber. No bar percebo ele do outro lado também comprando algo e me encarando...fiz que não era comigo e logo voltei para onde estava. Uns 3 minutos após eu voltar ao local em que estava, me apoiando na barra de ferro, sinto alguém me encoxando  por traz e segurando na barra para me prender, pensei ser amigos e deixei por alguns segundos e fui me virando para zuar com a cara de quem fosse, quando vejo, era ele , era o morenaço. Tomei um susto. O sorriso na cara logo sumiu, e aqueles olhos verdes me encaravam, e eu só conseguia pensar, FUDEU, o que vou fazer agora? Foi então que aqueles lábios começaram a se mexer e me disseram – E aew como vai ser, vai me ignorar a noite inteira ou vai me dar uma chance de morte esses seus lábios. Eu ali sem saber o que fazia, coloquei minhas mãos sobre sua cabeça, trazendo seus lábios até os meus. Aquela boca sabia como beijar, aquela língua passando em meus lábios já me deixou no jeito. Ele me apertava, e me pressionava contra a barra de segurança. O medo daquela se soltar, nem passou pela minha cabeça, só conseguia sentir aqueles lábios e aqueles braços de puro músculo me pegando.
Após abaixarmos o fogo e conversarmos um pouco, percebi o quanto aquele sem vergonha era sedutor. Aquela boca era uma coisa, e me encantava cada vez mais. Foi então que ele mencionou de irmos para um lugar mais tranqüilo, como seu carro, fora da balada. Relutei, pois teria que sair, e meus amigos la dentro, seria difícil depois a comunicação. Ele percebendo que não iria, veio com seus lindos e sedutores olhos verdes me encarando e me beijando. Beijava meu pescoço, e próximo a minha orelha pedia para irmos até seu carro. O diabinho falou mais alto.
 Seu carro estava estacionado na rua de baixo a Edub. Dentro do carro, os vidros logo começaram a embaçar RSS, ele já semi nu, eu tentava não pegar naquela rola, apenas me concentrar naquela boca e apertar aquele corpo gostoso. Mas a tentação era alta e logo fui descendo a mão. Abri sua calça e fui massageando aquele pau ainda com a cueca, até ele crescer e sua cabeça sair para fora sozinha rs. Abaixei aquela cueca e uma leve olhada para conferir o que ele tinha para mim. Posso dizer que era uma delícia, assim como o conjunto da obra. Comecei a masturbar ele, e aquele pau ficava cada vez mais duro. Decidi ir descendo, beijando aquele peitoral...aquela barriguinha sarada ..até chegar naquela rola toda raspadinha. Comecei lambendo a cabecinha, e passando os lábios sobre ela, senti ele já apertando o estofado do banco do carro, e fui descendo devagar até engolir tudo. Fui subindo e puxando ar com a boca para colocar pressão em seu pau, e ele logo deu uma gemida gostosa e assim fui trabalhando naquela chupeta. Do nada escutamos um bater no vidro e olhamos, era amigo do morenaço nos encarando com o pau na mão. O lindos olhos verdes então me pergunta se o amigo pode entrar na brincadeira, olhei para seu companheiro, outro macho de mesmo porte, como desperdiçar essa oportunidade. Ele entrou e logo fui tirando sua blusa, queria sentir aqueles dois corpos sobre o meu. Deitamos os bancos da frente, e logo comecei a chupar os 2. Não podíamos demorar pois o sol estava quase nascendo, e logo o pessoal começaria a sair da boate. Tirei uma camisinha que tinha na carteira e coloquei em meu Morenaço. Fui sentando sobre ele , sobre aquela rola, que deslizava para dentro de mim. Ele ia beijando meu pescoço ...e eu masturbando seu amigo. Ele me levantou um pouquinho e so mexia o quadril para ir me bombando, e como bombava gostoso hein. Seu amigo logo gozou e foi se vestindo. Quando meu Morenaço estava para gozar, comecei a sentir suas estocadas mais fortes, e seus gemidos graves, como se estivesse levantando peso na academia, até ele gozar.
Trocamos telefone e nos encontramos mais algumas vezes, se você estiver lendo. Me liga rs
Até mais galera.    

quarta-feira, 30 de março de 2011

A primeira vez de Fred com um macho.

Fala ai blogueiros de plantão, para começar nada melhor do que a minha “FRED” primeira experiência erótica com outro macho. Aos 15anos e sem nenhuma experiência com outro macho, tive o prazer de me envolver com meu vizinho Roberto, pai dos meus amigos de colégio e que eu nunca tinha reparado como era gostoso e safado. Como não podia logo de cara demonstrar todo meu interesse, tive que criar uma estratégia para conseguir assim ver aquelas belas pernas peludas e aquela barriga que não era sarada mais que me dava um tesão só de pensar nas minhas mãos passando por ela. Foi então que resolvi começar a puxar assunto quando nos víamos na rua e nos lugares que ambos freqüentávamos. Começamos a ficar “amigos” e como éramos vizinhos, sempre ficávamos na frente de casa conversando, o que não preocupava meus pais e muito menos a esposa dele, pois tinha crescido junto com os filhos dele. Lembro como se fosse hoje, estava voltando pra casa, quando vejo o Roberto sentado na frente da casa dele com um shorts de tactel, igual aqueles de jogador, sem camisa e o que me deixou mais louco, sem cueca. Quase não acreditei quando olhei e notei que ele esta sem cueca o que me permitia ver suas partes mais intimas e desejadas por mim. Não consegui disfarçar e notei que ele ficou um pouco sem graça, mais não falou nada. No dia seguinte encontrei com ele na rua de cima de casa, onde o filho andava de bicicleta e por coincidência ou não, ele esta com o mesmo short. Ele me chamou pra conversar e quando olhei, ele esta sem cueca, fiquei sem jeito mais não consegui parar de olhar pra pernas e pra aquela abertura no shorts que revelava o que eu tanto queria ver e sentir. Não podia acreditar, mais ele me perguntou na caruda o que eu tanto olhava pro shorts dele, se eu tava querendo ver o que tinha por dentro ou se era encanação dele, na hora fiquei sem graça, mais não podia perder a oportunidade e falei que queria sim, que não sabia o porque mais ele me dava muito tesão, foi quando ele puxou o short e tirou o pau dele pra fora, na hora ele pegou na minha mão e levou ate o pau dele, que já estava ficando duro. Não conseguia acreditar em tudo aquilo, mais ele pegou e falou que ali não era lugar e que o filho dele poderia ver, mais que em breve eu poderia fazer o que quisesse com ele.  No mesmo dia, a noite escutei o portão da casa dele abrir e o carro saindo, notei que ele tinha ficado em casa e fui logo no portão pra ver se ele saia pra conversamos. De repente ele saiu e me chamou pra entrar para conversamos La dentro, já que sua esposa tinha saído e ele estava sozinho. Sentei no sofá da casa dele e ele ficou em pé parado na minha frente olhando pra minha cara, quando vi ele estava passando a mão por cima da calça fazendo assim com que seu pau ficasse duro e como aquela cara de safado ele perguntou se eu queria sentir e pegar. 
Ele começou a tirar a roupa, primeiro foi sua camiseta e logo sua calça estavam no chão e ele todo nu olhando pra mim, aquela barriga com os pelos raspados e aquela perna peluda, grossa de quem jogava futebol aos finais de semana, sem contar na naquela rola, dura com os seus 18cm e grossa, como era grossa..... Não resiste e chupei aquela rola como uma criança que brincava com um sorvete. Ele pegava no meu cabelo e forçava minha cabeça, fazendo eu engolir toda aquela rola, que baba na minha boca, ele batia a rola na minha cara o que me deixava com mais tesão.  Como não tínhamos tempo ele logo gozou, deixando aquela porra branca e grossa, escorrer pelo seu pau e cair na sua mão, confesso que na hora queria cair de boca naquela porra, mais o medo falou mais alto................ Em breve conto mais pra vocês, porque essa historia não acaba por aqui.

terça-feira, 29 de março de 2011

A primeira vez de Max com um macho

E ai blogueiros/punheteiros/safados/curiosos de plantão, sou o Max e estou aqui para compartilhar com vocês minha primeira experiência sexual com outro cara aos 18 anos.
Tudo começou numa destas noites de segunda-feira onde o final de semana não rendeu muito, então cheio de tesão por calor humano, fui brincar no bate-papo da UOL. Os papos não estavam muito interessante e quase desistindo, 20 minutos após a entrada, sou chamado pelo, Engenheiro Maludo. Papo vai papo vem, ele começa a descrever sua curiosidade em comer outro cara, porém que não pretendia arriscar pois seu tesão era por mulheres. Não dei muita trela para ele, em vista de ser visível seu desinteresse por homens. Mas ele insistente, a conversa começou a ficar quente. Dizia que queria me fazer gemer nas estocadas que daria em mim.
 Ligamos a webcam, sem mostrarmos nossos rostos, apenas por tesão e brincadeira de sexo virtual. Quando a cam abriu, visualizei aquele engenheiro safado, 26 anos, aparentava seus 1,85 de altura, moreno claro, todo encorpado de academia, vestindo apenas uma cueca branca boxer. Quase gozei só de olhar ele daquele jeito.
Após 5 minutos de “preliminares” ele tirou sua cueca, e aquela rola dura de seus 22 cm na mão ... me convidando a sentar no colo dele. As horas foram se passando e as salas do bate papo já quase vazias, ele questiona sobre vermos o rosto um do outro. Acabamos nos vendo , ele gozou e encerramos ali a conversa com direito a troca de MSNs.
Uma semana após o acontecido, houve uma grande festa na cidade de Americana. Junto dos amigos, me diverti a noite inteira, até que quase no final da festa, visualizo uma pessoa me encarando... era o Engenheiro Maludo. Ficamos nos encarando sem aproximação, ele estava acompanhado de uma loira, alta e encorpado, corpinho de academia, que aparentava ser sua namorada. Como percebi que nada aconteceria, continuei minha diversão na festa como se não tivesse visto nada. 3...4 horas da manhã, fim de festa, me despedi de meus amigos, com rumo para casa... não foi o que aconteceu rss.
No estacionamento percebo um ser se aproximando de mim quando estava quase entrando em meu carro, era o Maludo. Me cumprimentou, e perguntou como estava ... depois de algumas conversas bobinhas, ele entrou no assunto que tanto eu, quanto ele queria, e começou a elogiar minha bunda. Dizia ter gostado e que queria me conhecer melhor, sugeriu pararmos em algum lugar conversar, e seguimos rumo a uma lanchonete que fica aberta até 6 horas da manhã na cidade. (Não sei o que aconteceu com sua namorada/acompanhante/ sei  lá o que era)
Depois de conversarmos um pouco e comermos, com direito a um clima estranho, natural de primeiros encontros, ele sugeriu pararmos ali próximo para uma conversa mais intima. Prontamente aceitei.
Paramos os carros um atrás do outro, em frente a alguns prédios. Entrei no banco de traz do carro dele, um Vectra, e vejo ele com a mão dentro da calça, me pedindo para lhe “dar uma mão”. Coloquei minha mão sobre sua calça, e sentia aquele enorme volume. Ele me olhando nos olhos, enquanto pulsava seu pau para cima. Abri aquela calça e ele estava sem cueca, me deparo com aquela rola enorme, que mal fechava em minha mão. Ele foi abaixando minha cabeça até seu pau. Engoli ela inteira logo de cara. Ele soltou um gemido e começou a se contorcer no banco. De repente ele puxou meu cabelo para levantar minha cabeça e me virou de lado, já em seus braços, me pegando e encoxando. Abriu minha calça e abaixou ela rapidamente, e ficou roçando aquele pau enorme na minha bunda. Ele então colocou camisinha e guspiu naquela rola e senti seus dedos lubrificando meu cu. Ele foi entrando devagar, e mesmo assim a dor era altíssima, aquele pau era muito grande e grosso. Mas o tesão era tão grande, que eu não impedi ele de ir me bombando, a sensação estava incrível, dor e tesão.
Dentro do carro ele me colocou de frango assado, de quatro e de lado... só de lembrar aquela uma hora de sexo me da vontade de ligar para ele, pena que perdi contato. Ele era uma máquina na cama . Não preciso nem dizer que nos encontramos por mais de um ano após o ocorrido. Sim ele continuou namorando, porém nunca soube quem, não me interessava saber isso rss.

Embalos das Noites Sem Fim

O Blog Embalos das Noites Sem Fim te da às boas-vindas e te deseja uma ótima viagem nesse mundo real, transformado em fantasia.
Com dedicação e várias experiências para contar, tanto do nosso dia a dia, como de nossas experiências mais loucas e desejáveis.
Somos dois amigos gays, porém que ainda não desfrutaram de uma experiência juntos, Fred Castro, 24 anos, ativo e Max Ribeiro, 23 anos, passivo. Vivemos em Campinas e Americana,  nossas experiências e contos,  acontecem nas proximidades dessas cidades, ambos trabalhamos e temos uma carreira profissional à parte.
Como objetivo, queremos compartilhar nossas experiências e vivências. Como principal foco, tudo que está relacionado a sexo.
Não queremos falsos moralistas e pessoas preconceituosas, não precisamos delas.  Os demais sejam bem-vindos e vamos juntos desfrutar e compartilhar o que há de melhor nessa vida.
Aquele abraço de
Max e Fred